Testemunhos

Envie o seu!

Professor Clementino Fraga Filho
em homenagem realizada após a sua morte

“Em todo o tempo, dava testemunho de sua fé, no seu proceder irrepreensível com os outros. Vivia conforme os valores cristãos da cordialidade, temperança, caridade e justiça.”

Irmã Caritas (MC)
acompanhou o trabalho do Guido junto à casa das Missionárias da Caridade na Lapa

“Sua única preocupação era salvar almas. Levar todos a um encontro pessoal com Cristo. Para isso não media esforços.

De fato, toda a sua conversa era com Ele e a Ele direcionada. Não perdia uma oportunidade de proclamá-lo. Fosse com palavras ou com o próprio exemplo. Quando atendia os irmãos de rua, não só zelava pela saúde do corpo, mas e sobretudo da alma. A nenhum deles deixou de falar de Cristo. Muitos deles saiam do consultório em lágrimas e profundamente tocados. Orava por e com cada um e os convidava a receber os sacramentos como fonte de graça e comunhão com Deus.

Muitas vezes usava dos carismas com que o Senhor o agraciava. Presenciei várias vezes, sobretudo o carisma da Palavra de Ciência. A todos tratava com delicadeza, paciência e compreensão. Nunca o vi irritado ou impaciente com ninguém. Mesmo quando alguém vinha embriagado ou sob efeito de drogas e procurava confusão. Sempre tinha tempo para cada um. O seu exemplo me edificava e ... corrigia!”

Ir. Antônio Motta Simões
noviço OSB.

"Guido era um jovem brilhante, inteligente, simples, bem-humorado, comunicativo, educado, atencioso, paciente, sereno, extremamente caridoso e dedicado a Deus. Sempre fazendo o bem, sempre se doando, atendendo a todos, seja problemas de saúde física, seja de saúde espiritual.

Nunca o vi fazer o mal a alguém, mesmo a quem lhe tivesse feito – a esses ele abençoava – nunca o vi se indispor com ninguém nem falar mal de ninguém, nem mesmo murmurar.

Como bom católico, participava com especial amor da Celebração Eucarística, rezava fielmente a Liturgia das Horas e era apaixonado por Nossa Senhora. Em honra à Santíssima Virgem, a quem havia se consagrado, rezava o terço constantemente.

Guido amou a Deus, a Igreja e os homens. Foi verdadeiro servo de Deus, filho da Igreja, amigo dos homens."

Dudu Martins

"Estar com o Guido era beber na fonte da sabedoria de Deus. Não fosse suficiente conhecer as passagens da bíblia e mencionar com precisão a sua localização (livro, capitulo, versículo), a experiência vivida da palavra tornava aquele medico um exímio pregador.

Ao lado do Guido, me sentia desafiado a ir para águas mais profundas. Ele estava sempre por perto para me encorajar a dar passos na fé para conhecer mais a Jesus.

Guido, como os primeiro apóstolos, sabia o que estava fazendo: o bom papo durante o surfe, o convite para sua casa, a apresentação do mestre. A pescaria estava feita. O Guido havia me fisgado para Jesus.

Quero ser melhor, mais santo por causa do exemplo do meu brother Guidinho."

Ir. Clébia de Jesus Caixeta

"A conversa mais freqüente dele era sempre sobre Deus e a Igreja, sempre iniciando o estudo com oração e em qualquer intervalo o convite era certo:” vamos rezar?”.

A amizade com o Guido me marcou muito, por seu suave odor de santidade, nunca falava mal de ninguém, estava sempre pronto a ajudar a todos, esse seu maior desejo: salvar almas, ganhar o máximo para Deus."

Isaac Marques Aragão
amigo da faculdade de São Bento

"O simples fato de sua presença impregnava em seus ouvintes um desejo de santidade. Isto tanto nos locais de pregação quanto nos demais locais de tarefas relativas à vida.

O Guido foi para mim um exemplo de como se deve cultivar a vida em santidade e dedicação. Sempre orava antes de qualquer tarefa que íamos realizar na Faculdade de São Bento do Rio de Janeiro onde cursávamos teologia. Nesses encontros sempre tomava a iniciativa de rezar a Liturgia das Horas e de fazer leituras na Sagrada Escritura. Sua meta era sempre de alcançar nota 10 tanto na apresentação dos trabalhos quanto nas provas. Seu objetivo sempre era alcançado. Até mesmo na apresentação dos trabalhos sempre dava um jeitinho de introduzir uma mensagem bíblica ou algum texto do Magistério da Igreja."

Confrater. Juliano Guilherme SAC

"Guido era um bom aluno. Sabia fazer reflexões das aulas lencionadas pelos professores, na hora certa e no momento certo, e, na maioria das vezes, ele aplicava algum trecho da Sagrada Escritura nas explicações dos professores; e isso parecia enriquecer as nossas aulas. Sua profissão exercida (médico) era às vezes solicitadas por algum dos alunos da Faculdade.

Era também pregador da Palavra de Deus, partilhava com os colegas de classe os testemunhos de pessoas que aderiam à conversão minutos antes de sua morte nos leitos dos hospitais...

Interessante que além disso tudo, era um simples jovem que gostava de fazer coisas de ‘jovem’; ele gostava de surfar. E, conversava sobre suas aventuras."

Marcos Vinicius Duarte

"Ele saboreava a palavra de Deus, tinha um entusiasmo para falar de Deus.

Foi o maior pregador que ouvi na minha vida, abrasava meu coração ouvir Guido pregando. Era algo extraordinario sua sabedoria, era um dom de Deus, foi o talento que ele multiplicou."

Gilberto Antonio de Araújo
Coordenador do Grupo de Oração Santa Teresinha

"Nesse dia, pregou sobre a ressurreição e a vida eterna, dizendo que ele, particularmente, estava ansioso por esse momento, porque, como Paulo, ele também dizia: “não é o Guido que vive mais, é o Cristo que vive em mim”. Falou sobre os apegos aos valores materiais, dizendo que a vaidade e a beleza da carne não têm valor em face da grandeza da ressurreição com Cristo."